Link Patrocinado

Compacta, superzoom ou DSLR: como escolher uma câmera digital?

Uma das maiores dúvidas dos consumidores de câmeras digitais diz respeito ao tipo de equipamento que devem comprar. Com centenas de modelos disponíveis e uma profusão de recursos diferentes, como escolher a câmera ideal para suas necessidades? Lendo esse artigo, você entenderá as diferenças entre os tipos de câmera disponíveis no mercado e poderá fazer sua escolha com conhecimento de causa.

As máquinas oferecidas atualmente podem ser classificadas nos seguintes grupos: compacta, superzoom ou DSLR. As primeiras dizem respeito às pequenas e populares câmeras “de bolso” que custam algumas centenas de reais. Na categoria intermediária, as superzooms são um pouco maiores e mais caras, compensando com recursos melhores de aproximação de imagens. Por fim, as DSLR são equipamentos considerados semiprofissionais ou profissionais, com mais recursos e, claro, muito mais caros.
Dslr, compacta e superzoom
Qual câmera comprar? (Foto: Reprodução)
Compactas

São as câmeras mais vendidas do mercado. Pequenas, simples e práticas, aliam preço baixo à portabilidade. Normalmente são capazes de produzir boas fotos e acabam sendo a melhor escolha para a maior parte das pessoas, que deseja apenas registrar os momentos com a família na praia ou a festa de aniversário das crianças para depois compartilhar nas redes sociais.

As compactas oferecem o preço como um de seus maiores atrativos: com menos de R$ 200 é possível adquirir um modelo mais simples e sair por aí fotografando tudo o que desejar. Além disso, são muito fáceis de usar, dispensando qualquer conhecimento sobre fotografia. Basta tirá-la da caixa, colocar a bateria e fotografar, pois a máquina geralmente faz todas as configurações necessárias de forma automática. Por essa característica, são conhecidas como “point-and-shoot” (“apontar e disparar”). Muitas delas sequer permitem que o usuário altere as configurações de disparo mesmo que deseje. Embora seja um recurso muito interessante para leigos, isso limita a criatividade do fotógrafo, como você perceberá mais adiante.

Por outro lado, o baixo preço inevitavelmente traz alguns inconvenientes, na forma de recursos limitados. Câmeras compactas possuem um sensor (o dispositivo que captura a luz para criar uma imagem) bastante pequeno e, acredite, o tamanho do sensor é uma característica mais importante do que a quantidade de megapixels que a câmera é capaz de gerenciar.

Como consequência, você não terá boas fotografias com pouca luz, à noite ou em ambientes fechados. Isso porque, para compensar a baixa luminosidade, o obturador da câmera precisará ficar aberto por mais tempo, de modo que mais luz possa entrar. Assim, o menor movimento no equipamento durante o disparo produzirá fotos desfocadas e tremidas.

Cameras compactas
Modelos de câmeras compactas (Foto: Reprodução)
 
 Outro inconveniente das câmeras compactas é o chamado “atraso do obturador”, que pode ser entendido como o tempo decorrido entre pressionar o botão e o momento em que a foto é efetivamente tirada. Embora isso possa não ser um problema em muitos casos, em outros pode ser a diferença entre aquele sorriso maravilhoso de quando você clicou e uma cara fechada ou mesmo a ausência do objeto retratado quando a máquina disparou.

Por fim, a maioria das compactas não oferece um visor óptico (a “janelinha” de vidro onde é possível visualizar a foto, disponível em máquinas DSLR). Com isso, você fica restrito ao uso do display de LCD, o que pode ser ruim para visualizar em dias muito ensolarados e ao ar livre.

Superzoom

São câmeras de porte médio, um pouco mais caras do que as compactas e que vêm se popularizando em função da grande capacidade de zoom óptico que oferecem (alguns modelos chegam a oferecer incríveis 42x de zoom).

São equipamentos excelentes para registrar os detalhes de jogos de futebol e outros esportes, peças teatrais e cerimônias em geral, também em boas condições de iluminação, já que os sensores são pequenos como os das compactas.

Superzoom ou semiprofissionais
Modelos de câmeras superzoom (Foto: Reprodução)
 Além de um pouco mais caras (a partir de R$ 750, em média), as superzooms são mais robustas e não cabem no bolso, exigindo uma bolsa ou alça para serem carregadas.

Do ponto de vista dos recursos oferecidos, os equipamentos dessa categoria incluem a possibilidade de configuração manual dos disparos. Por outro lado, possuem lentes fixas que, embora sejam excelentes, não permitem a troca por lentes com outras características como as DSLRs.

DSLR

Chegamos às câmeras utilizadas pelos profissionais de fotografia. Colocando nas mãos do fotógrafo a possibilidade de gerenciar todas as configurações de disparo, as DSLRs permitem que o usuário interfira diretamente no resultado obtido. Por isso mesmo, é ideal para quem já possui conhecimentos de fotografia ou quer se aprofundar neste universo.

O grande trunfo desse tipo de câmera é a possibilidade de trocar as lentes. Assim, para fazer uma sessão de fotos de um certo tipo (paisagens, retratos, interiores, esportes) você pode escolher a lente mais adequada e utilizá-la apenas para aquela sessão. Essa variação permite obter fotos realmente profissionais, como as que são encontradas nas revistas.

Dslr ou profissionais
Modelos de câmeras DSLRs (Foto: Reprodução)
Sem atraso do obturador (o que você clica é o que a máquina registra), as DSLRs possuem um sensor muito maior do que as descritas anteriormente. Em alguns modelos (as chamadas Full Frame) o sensor é do tamanho de um filme das máquinas analógicas. Além disso, a bateria de uma câmera desse tipo dura muito mais do que as compactas ou superzooms.

Obviamente, todos esses recursos possuem um custo alto. Câmeras DSLR custam a partir de R$ 1.500 (os modelos mais simples, chamados semiprofissionais, com lente básica). Leve em conta ainda que é comum que as lentes específicas custem mais do que a própria câmera, não sendo raro encontrarmos lentes sendo vendidas por mais de R$ 10 mil.

lentes: cannon ou nikon
Lentes para câmeras DSLR (Foto: Reprodução)

 E agora, que tipo de câmera escolho?

Nesse ponto, você já conhece os tipos de câmera oferecidos pelo mercado. Mas qual deve comprar? Isso vai depender basicamente de dois fatores: inicialmente, seus objetivos; depois, o orçamento disponível.

No quesito “objetivos”, se o que você pretende ao adquirir uma câmera é apenas registrar os momentos de sua vida de forma prática e rápida, fotografando suas viagens e a rotina com os amigos sem se preocupar com detalhes técnicos sobre fotografia, fique com uma câmera compacta; se gostaria de desenvolver um pouco mais seu conhecimento, modificando as configurações padrão e tirando boas e nítidas fotos de eventos maiores, sua escolha é uma superzoom; por fim, se deseja realmente entrar no mundo da fotografia, investindo tempo e dinheiro em troca de fotos realmente fantásticas, a melhor opção é a DSLR. Releia a descrição de cada um dos tipos, com os respectivos prós e contras e verifique a que mais se adequa aos seus anseios.

Agora que você já sabe que tipo de câmera é melhor paras suas necessidades, vamos falar sobre o “orçamento”. Tenha em mente que é melhor aguardar um pouco mais e comprar o que realmente deseja do que comprar o que pode agora e depois ficar frustrado com os resultados. Por outro lado, dependendo do que você pretende, uma câmera levemente inferior pode ser um bom começo, para que possa testar os recursos e confirmar suas necessidades.

E, finalmente, lembre-se: a qualidade de uma fotografia não depende apenas do equipamento. Boa parte do sucesso vem da sensibilidade do fotógrafo, da composição harmoniosa, do ângulo retratado e da percepção sobre o momento. Assim, independente da câmera que escolher, capriche nos cliques e seja feliz com ela.

Fonte: Tech Tudo


Nenhum comentário:

Postar um comentário